Charleston é a dança frenética dos anos 20 que nasceu com o “hot jazz” da época.

Esta dança entrou na moda nos EUA por causa de uma música “The Charleston” de James P. Johnson em 1923. Roubando o ritmo base a uma dança afro-americana, Juba, o Charleston evoluiu para cativar o público geral com os seus twists, kicks, e taps  – pondo grande ênfase nos movimentos das pernas.  

O Charleston é uma dança que é possível fazer a pares ou a solo. O ritmo base é o mesmo para as duas vertentes, sendo que a solo há mais variações e possibilidades.

Esta é uma dança que surgiu na altura em que as saias ficaram mais curtas, dando foco aos movimentos frenéticos das pernas, tão fréneticos como a música do “hot jazz” que se espalhava pelos EUA com um fervor incrível.

O twist dos pés é a base do movimento, o que dá possibilidade de substituir com taps e kicks.  O passo base de Charleston é de 8 tempos, uma espécie de andar para trás e para frente.  A partir dessa base há variações em forma e ritmos, alguns ritmos que vêm até de sapateado, uma vez que esse teve a sua influência no Charleston, criando a vertente de Tap Charleston.

Nos anos 30-40 o Charleston mudou, integrando-se no Lindy Hop a pares e no Vintage Jazz a solo. Às vezes chamado Lindy Charleston, Savoy Charleston, 30s or 40s Charleston ou Swing(ing) Charleston, a dança começou a reflectir a mudança também na música jazz para swing.

Na Swing Station focamo-nos no Solo Charleston dos anos 20 durante 3 módulos e depois integramos o Solo Charleston nos nossos cursos de Solo Vintage Jazz, uma vez que hoje em dia normalmente é visto como parte dessa modalidade.

Novas Turmas

Abertura de novas turmas nestas datas:

25 de Setembro de 2017 à 2a-feira, 20:00 – 21:20

4 de Janeiro de 2018 à 5a-feira, 21:20 – 22:40

Se não puderes integrar uma destas turmas, fala connosco para registar interesse numa próxima turma.

Níveis Evolutivos

O percurso de níveis para aprender a dançar Solo Charleston!